Unha de gel acaba com a unha natural: Mito ou Verdade?

A tendência das unhas de gel parece que veio para ficar e não é mais uma moda passageira. A praticidade delas e o efeito duradouro é algo que conquistou o coração de quem não dispensa uma unha sempre arrumada. Mas a grande questão de quem já usa ou quem está pensando em colocar unhas de gel é se o gel danifica a unha natural ou se ele enfraquece a unha.

Melhor que unhas postiças

As unhas postiças sempre foram um quebra galho para os momentos de urgência, quando precisamos delas arrumadas ou quando uma unha quebra. Mas a cola usada para colar a unha postiça sempre foi a vilã dessa opção de manicure. Com o advento das unhas postiças com adesivo autocolante, surgiu a possibilidade de ter unhas arrumadas, com o mínimo de agressão às unhas naturais, mas sabemos que as unhas autocolantes não duram muito.

O gel, então chegou e ganhou adeptas por ser uma forma de ter unhas longas, fortes e que mantém o esmalte por dias! Parece mesmo um milagre dos salões de beleza.

Existem vários tipos de unhas permanentes, as de fibra, porcelana, gel e acrigel, mas todas têm o mesmo objetivo, embora as técnicas possam ser um pouco diferentes que é manter unhas arrumadas por muito mais tempo.

Neste post falo um pouco mais sobre as unhas de gel para que você possa entender melhor como é aplicada.

A unha de gel faz mal?

Mas sabemos que nem tudo são flores nessa vida e quando vemos algo muito bom logo já queremos saber, onde está a parte ruim da novidade. A questão das unhas de gel, começa logo com o preço que é bem mais caro que uma manicure normal. Chegando a ser cerca de oito vezes mais cara que um trabalho convencional, até mesmo pelo tempo que demora e pelos produtos utilizados.

A manutenção que deve ser feito a cada 15 dias também não custa o mesmo preço de uma mão normal no salão, encarecendo bem mais nossos gastos com beleza. Mas o preço, pode não ser um problema, pelo fato da relação custo/benefício, já que apesar de mais caro, as unhas se mantém com esmaltação perfeita por muito mais dias, além de poder manter unhas longas e fortes.

O grande receio de quem usa é se ela faz mal para a saúde e se vai estragar as unhas. O primeiro cuidado ao se usar a unha de gel é ter certeza de que o profissional que vai fazer a colocação do gel, tem experiência. O gel mal colocado pode não aderir totalmente à unha, criando um espaço entre a unha natural e o gel sendo uma condição para a colonização de fungos. A assepsia da unha natural e o trabalho bem feito garantem que não ocorrerá fungos nas unhas.

Remoção e Enfraquecimento

Uma queixa muito comum de quem já usou gel e já tirou é que a unha fica muito enfraquecida, fina, descamando e com aspecto de papel. A unha na verdade já fica muito fina desde a colocação quando há muitos processos de lixamento. Mas ao retirar o gel as unhas ficam ainda mais destruídas.

Já sabemos que não podemos tirar o gel em casa sem auxílio do profissional. Mas mesmo no salão a remoção é agressiva.

Algumas manicures deixam as unhas de molho em acetona, e outras usam a acetona, mas enrolam as unhas com papel alumínio e colocam sob a luz ultravioleta, o chamado forninho, para favorecer o descolamento do gel.

Após amolecido, o gel é removido manualmente com ajuda de uma espátula. Por mais delicada que sua manicure for, a técnica é agressiva e a unha natural acaba sendo machucada.

A exposição das unhas nas cabines de luz ultravioleta ainda podem colaborar com o envelhecimento das mãos, aparecimento de manchas e até mesmo câncer de pele. Dermatologistas recomendam o uso de protetor solar ao se expor as cabines para secar as unhas.

Antes e Depois – Remoção das Unhas em Gel

Normalmente a gente vê fotos de antes e depois das unhas mostrando como as unhas eram curtas e depois ficam longas ao ser usada a técnica de unhas de gel. Mas hoje quero mostrar meu antes e depois ao contrário. Como minhas unhas estavam antes e como estão agora.

Eu usei o gel por cerca de 5 meses, realizando manutenções quinzenais, gostei muito dessa praticidade de ter as unhas sempre arrumadas, longas e fortes, mas tanto meu esposo quanto minha mãe estavam me falando para retirar para não correr riscos de fungos, alergias e etc, que não teve como, me rendi à pressão das duas pessoas que mais exercem influência sobre mim e fui retirar o gel.

Foi uma experiência horrível, doeu muito, e ficou doendo por dias. Acho que o gel agarrou e quando saiu, tirou pedaços da unha e parece que ficou com um buraco na unha indo direto na carne, doeu muito e por dias. Fiquei realmente apavorada.

Já tem mais de um mês que eu tirei e agora resolvi mostrar com elas estão. Eu não tirei sequer mais a cutícula para dar um bom descanso para as minhas unhas. No começo elas estavam super finas, como um papel mesmo e agora algumas já começaram a crescer. Mas ainda estão bem frágeis e algumas unhas ainda não cresceram. Os dois mindinhos foram os mais prejudicados e estou realmente com receio de quem ela tenha ficado com algum defeito.

Eu acredito que a melhor forma de tirar o gel é aguardar ele crescer e sair da unha, vai ser pior que transição capilar, a transição unguenal, mas acredito ser a forma mais suave.

Não pretendo colocar novamente, o processo de lixar as unhas sempre me deu muito nervoso. E acaba que sempre machucava um pouco, talvez eu tente me adaptar a blindagem para fazer o esmalte durar mais, mas sem usar o gel.

3 comentários
  1. Estava pensado em colocar, mas depois do seu relato nem pensar

  2. Olá, eu também usei unha de gel duas vezes e minhas unhas parecem papel e doem muito. Não farei novamente, apesar de ficar com unhas lindas por cerca de um mês. Enfim, vou fazer a unha com esmalte normal mesmo e com mais frequência como antigamente, antes do aparecimento das unhas de gel hehehehe bjs

  3. Antes de colocar em gel, minhas unhas cresciam rápido e eram fortes. Hoje, mesmo depois de 5 meses que
    coloquei a de gel, elas continuam quebrando com facilidade, ainda não se recuperaram completamente do dano. Tudo por conta do lixamento que é feito antes de colocar as unhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *